Quarta-feira, 12 de Março de 2008

A Carta...

Sabes?....Talvez não ou não venhas a saber, porque esta é a carta que não escrevo, são palavras que ficam no papel, sem que alguém as leia, sem que alguém se aperceba delas, sem que alguém lhes ligue e dê um pouco de atenção.

 

Mas, sinto necessidade de “não” escrever esta carta, sinto vontade de não ter vontade de pensar, percorro lentamente o teclado e não encontro as letras que formam as palavras, os dedos tremem de emoção, as palavras não surgem no monitor, nesse monitor onde em vão procuro o teu olhar, procuro o teu sorriso!

 

Que paradoxo, sentir – vontade de não ter vontade de pensar em ti – e ao mesmo tempo sentir vontade de tocar o teu olhar, de tocar o teu sorriso, de te dizer:

Gosto-te!...

Penso em ti, penso muito em ti, e pensar em ti, dói!... Mas é uma forma de dor que se sente sem doer, uma dor que aperta, mas que aperta de forma diferente, que asfixia, que me deixa de lábios apertados, uma dor que não se traduz, que não existe palavra que a descreva, uma dor diferente!

 

Mas eu quero-te pensar, quero “ver” o teu sorriso, quer recordar o teu “sorriso especial”, não, não posso recusar-me a sonhar-te, isso seria ignorar um período tão breve mas ao mesmo tempo tão intenso da minha vida, e eu quero recordar-te, e como te dizia:

Quero-te muito!

 

Um dia escreveste: - Trazes nos olhos o desespero e na boca um traço de solidão – Nos olhos mantém-se o desespero, no olhar, um sorriso triste, e na boca um traço de saudade… saudade da intensidade que vivemos cada encontro, da entrega, do abraço, do respirar juntos, do toque, sim, recordas o toque?...

Foi maravilhoso estar contigo, porque existia e existe Amor!...

E agora, estou contigo!

O toque com o olhar, o descobrir a alma através de um sorriso, tudo isso completava o que sentíamos nesses instantes, nesses momentos e que vivemos com intensidade!

 

Não sei como terminar uma carta que não escrevo, faço-o com um poema de Eugénio de Andrade…

 

O sal da língua

 

Escuta, escuta: tenho ainda
uma coisa a dizer.
Não é importante, eu sei, não vai
salvar o mundo, não mudará
a vida de ninguém - mas quem
é hoje capaz de salvar o mundo
ou apenas mudar o sentido
da vida de alguém?
Escuta-me, não te demoro.
É coisa pouca, como a chuvinha
que vem vindo devagar.
São três, quatro palavras, pouco
mais. Palavras que te quero confiar,
para que não se extinga o seu lume,
o seu lume breve.
Palavras que muito amei,
que talvez ame ainda.
Elas são a casa, o sal da língua.

 


publicado por O Solitário às 16:03
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Diferente a 14 de Março de 2008 às 15:52
Para uma carta que não escreveste, disseste muito....
Concerteza o teu escrito leva uma dedicatória que algures, vai ser entendida.
Continua a publicar textos teus ou de outros.....Partilha connosco a tua Solidão.
Diferente


De O Solitário a 14 de Março de 2008 às 21:19
olá Diferente

Obrigado por visitares a "Fortaleza da Solidão" e pelo comentário e por seres Diferente!

A carta "não" foi escrita, a dedicatória é uma homenagem a alguém que um dia escreveu: - Trazes nos olhos o desespero e na boca um traço de solidão - , alguém que tem uma beleza muito grande, alguém....

Obrigado por seres quem és...


De Ana a 30 de Agosto de 2009 às 01:14
E porque não escreveste essa carta?


Comentar post

.sou eu....


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.pesquisar

 

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Parabéns!

. Parque Marechal Carmona e...

. 25 de Abril Sempre!

. CHARLES AZNAVOUR AVE MARI...

. Parabéns Margarida!

. Cascais colorido...

. Caminhando por Cascais

. Caminhando por Cascais

. Cascais...

. Paço d' Arcos

. Devagar.

. Sons do silêncio

. O Tempo Passa? Não Passa

. Caminhos...

. Janelas e Primavera em di...

. Primavera

. Poema à Mãe

. Sons de Abril!

. Grândola Vila Morena

. 25 de Abril, Sempre!

.arquivos

. Novembro 2019

. Abril 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.visitas

online

.Visitas de Solidão

Free Web Counter
Clothing Stores
SAPO Blogs

.subscrever feeds