Sábado, 31 de Março de 2012

Quando te sonho

 

 

 

 

 Quando te sonho,

 

Sonho o dia que iremos por aí, pelos verdes campos,

Sentir o aroma das flores e ouvir os sons da Primavera.

 

Sonho aquele dia em que o pôr-do-sol estará ainda mais lindo,

Que será um pôr-do-sol apenas para “nós, e ali ficaremos…

 

até a lua chegar, com mais brilho, com mais intensidade,

Com mil tons, Iluminando os verdes campos,

 

Quando te sonho…

 

JS

tags:

publicado por O Solitário às 19:43
link do post | comentar | favorito
Domingo, 25 de Março de 2012

Palavras...

 

 

 

Palavras pensadas e não ditas, palavras ditas e não escritas,

palavras pensadas e escritas,

palavras que traduzem sentimentos,

sentimentos que não se traduzem em palavras,

palavras íntimas que revelam sentires, sentires que não se revelam por palavras,

silêncios que dizem mais… do que “mil palavras”.

 

Sim, se os silêncios dizem tanto, porquê palavras?...

 

Porque o silêncio se substitui a todas as palavras, quando as palavras permanecem na penumbra do silêncio,

de um silêncio que tem sons, que têm os sons da memória!

 

 

 

tags:

publicado por O Solitário às 22:04
link do post | comentar | favorito
Sábado, 24 de Março de 2012

Vai alta no céu a lua da Primavera

 

 

 

 

Vai alta no céu a lua da Primavera.

Penso em ti e dentro de mim estou completo.

 

Corre pelos vagos campos até mim uma brisa ligeira.

Penso em ti, murmuro o teu nome; e não sou eu: sou feliz.

 

Amanhã virás, andarás comigo a colher flores pelo campo,

E eu andarei contigo pelos campos ver-te colher flores.

Eu já te vejo amanhã a colher flores comigo pelos campos,

Pois quando vieres amanhã e andares comigo no campo a colher flores,

Isso será uma alegria e uma verdade para mim.

 

Alberto Caeiro


(in O Pastor Amoroso)

tags:

publicado por O Solitário às 18:24
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 21 de Março de 2012

Primavera...

  

 

Aqui, na Fortaleza do Silêncio, o vento sopra suave, talvez não seja vento, seja apenas uma brisa que toca suavemente na vidraça da janela e faz ecoar os sons da memória…

 

No baú da memória, o som de um sorriso lindo, o brilho de um olhar apaixonado, o silêncio das palavras que ecoam nos infinitos muros da Fortaleza, nestes muros que não são apenas virtuais, nestes muros que ladeiam o pensamento, que impedem que os olhares se toquem, que os sorrisos se cruzem, que as memórias não se desvaneçam na espuma dos dias, até porque, como um dia nos disse William Shakespeare "Lembrar é fácil para quem tem memória. Esquecer é difícil para quem tem coração."

 

No silêncio da minha fortaleza procuro as palavras, procuro alinhar as letras, procuro dar sentido ao sentido, procuro e não encontro palavras que não foram ditas, palavras que ficaram no mais recôndito armário de uma memória viva, de uma memória cheia de recordações, de uma memória que teima em não se apagar, de uma memória resiliente, de uma memória que tem um misticismo próprio…

 

 É primavera de um ano que não teve inverno, é primavera de um tempo em que o tempo teima em acontecer velozmente, os dias, os meses e até os anos sucedem-se a uma velocidade vertiginosa, estonteante por vezes, mas o que interessa isso?…  O que interessa é que é novamente Primavera!

 

  

 


publicado por O Solitário às 06:53
link do post | comentar | favorito
Sábado, 17 de Março de 2012

O amor e outras angústias

 

 

 

 Foto JS

Amor, palavra pequena, mas de grande sigificado!

 

 

O Amor é.... programa de Júlio Machado Vaz na Antena 1: 

  

http://mp3.rtp.pt/mp3/wavrss/at1/1814394_109096-1203122107.mp3

 

 

tags:

publicado por O Solitário às 17:11
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 14 de Março de 2012

André Sardet - Roubo-te um Beijo

 

 

tags:

publicado por O Solitário às 22:08
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 13 de Março de 2012

Igualdade de oportunidades

 

 

 

  

A igualdade de oportunidades constitui um princípio geral cujas duas grandes vertentes são a proibição da discriminação em razão da nacionalidade e a igualdade entre homens e mulheres. Trata-se de um princípio a aplicar em todos os domínios, nomeadamente na vida económica, social, cultural e familiar.

 

O Tratado de Amesterdão veio editar uma nova disposição no intuito de reforçar o princípio de não discriminação estreitamente relacionado com a igualdade de oportunidades. Esta disposição prevê que o Conselho possa adotar as medidas necessárias para combater todas as discriminações em razão do sexo, raça ou origem étnica, religião ou crença, deficiência, idade ou orientação sexual. Acresce que, através do seu programa de ação de luta contra a discriminação (2001-2006), a União Europeia incentiva e complementa as ações empreendidas pelos Estados-Membros para combater todas as formas de discriminação.

 

Proclamada em Dezembro, a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia contém um capítulo intitulado "Igualdade", que reitera os princípios de não discriminação, igualdade entre homens e mulheres, diversidade cultural, religiosa e linguística. Este capítulo incide igualmente sobre os direitos da criança, dos idosos e das pessoas com deficiência.

tags:

publicado por O Solitário às 22:39
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 7 de Março de 2012

Luar no rio tejo e o sinal....

 

 

 

 

 

 

 

 

tags:

publicado por O Solitário às 22:04
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 6 de Março de 2012

Cartas...

 

 

 

Fernando Pessoa escreveu uma carta imaginária à sua querida Ophélinha, uma carta poética que só alguém como ele, o sabia fazer. Nessa carta que terminava com reticiciências, e antecedendo essas reticiciências, o poeta escreveu … “Só nós sabemos que fingir é conhecer-se….”

 

“Carta imaginária” datada de 03 de Abril de 1920, que hoje, podia ser uma “carta virtual”, ou ainda, simplesmente um “mail”, nada como há alguns anos atrás, uma carta escrita nas folhas brancas de um papel ansioso de palavras, o envelope fechado, selo colado e marco do correio para seguir a seu destino! Bons tempos, em que não existia código postal, a expectativa da resposta na volta do correio, deixava-nos em suspense, ansiosos pela carta – resposta ou a ansiedade da resposta, que por vezes tardava ou não chegava!

Tantas cartas escritas, tantas cartas lidas, tanto sonho e tanto sorriso lido nas palavras simples, mas que traduziam sentimento e paixão… sinto saudades de “uma carta”, talvez por isso, escreva muitas “cartas imaginárias”, não como a de Pessoa, mas cartas simples, escritas por um homem simples, cartas que permanecem escritas, que arrumo na prateleira dos sonhos, que preservo no baú da memória para que nem uma só palavra se vá perder, para salvaguardar religiosamente o seu sentido.

 

Uma das incontáveis cartas...

 

Regressei ao sítio onde te conheci pessoalmente, sentei-me na mesma mesa, o mesmo ambiente morno de café ao fim do dia e senti de novo o teu sorriso, recordei aquele dia frio de Fevereiro em que algo de ti transcendeu, conhecer-te superou a minha expectativa, de como serias, como seria o teu sorriso, como seriam as reacções, a tua e a minha… e no final deste encontro, apenas isto: ter-te conhecido foi um privilégio!

 

Depois, sim depois, percorri lentamente outros caminhos, outras alamedas, algumas ladeadas de relva, sentei-me nos mesmos locais, olhei as árvores com as suas grossas raízes que foram cúmplices de nossos encontros, vi pessoas a correr de um lado para outro, uns vindos do metro, outros indo para lá, desci às entranhas de um local onde verti uma lágrima, não sei se uma ou mais, mas sei que foram sentidas, olhei a composição afastando-se sobre carris e escutei aquele estridente som metálico e fiquei ….

Afixei na memória das imagens, a tua imagem, aquela imagem afastando-se lentamente, que descia a escadaria degrau a degrau, que não tinha o sorriso de outras alturas, que expressava um olhar triste, talvez resignado, talvez confuso, mas sempre, sempre belo, e eu, não sabia como te olhar e com os olhos orvalhados de saudade… imaginei-te!

 

tags:

publicado por O Solitário às 22:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 3 de Março de 2012

Carta a Ofélia

 

 

tags: ,

publicado por O Solitário às 16:00
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 1 de Março de 2012

Os sons do silêncio….

 

 

    

 

 

 Fotos JS

 

É o silêncio da noite, é o som da leve brisa que sopra do mar, é o som do nevoeiro que envolve a cidade, é o silêncio de gente em correria que passa sem ter tempo de sentir os sons da paisagem, caminho sentindo os silêncios da cidade, de quantos dramas, de quantas lágrimas, de quantos sorrisos, de paixões, de encantos e de tristezas! São os silêncios da vida….

 

Mas, neste silêncio carregado de sons da memória, quero escutar a memória dos sons, a memória da saudade, quero ouvir os sons dos sorrisos, o som do toque sublime, quero sentir o afecto das palavras, quero escrever uma “carta proibida”, quero que o silêncio da Fortaleza embale os sentires, que embale as palavras que talvez nunca venham a ser escritas nessa “carta proibida”!

 


publicado por O Solitário às 22:31
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Pedra Filosofal - Manuel Freire

 

 

 

tags:

publicado por O Solitário às 07:08
link do post | comentar | favorito

.sou eu....


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.pesquisar

 

.Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Esta velha angústia,

. 25 de Abril Sempre!

. Parabéns!

. Parque Marechal Carmona e...

. 25 de Abril Sempre!

. CHARLES AZNAVOUR AVE MARI...

. Parabéns Margarida!

. Cascais colorido...

. Caminhando por Cascais

. Caminhando por Cascais

. Cascais...

. Paço d' Arcos

. Devagar.

. Sons do silêncio

. O Tempo Passa? Não Passa

. Caminhos...

. Janelas e Primavera em di...

. Primavera

. Poema à Mãe

. Sons de Abril!

.arquivos

. Maio 2020

. Abril 2020

. Novembro 2019

. Abril 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.visitas

online

.Visitas de Solidão

Free Web Counter
Clothing Stores
SAPO Blogs

.subscrever feeds