Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

E depois do adeus

Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.

Em silêncio, amor
Em tristeza e fim
Eu te sinto, em flor
Eu te sofro, em mim
Eu te lembro, assim
Partir é morrer
Como amar
É ganhar
E perder

Tu vieste em flor
Eu te desfolhei
Tu te deste em amor
Eu nada te dei
Em teu corpo, amor
Eu adormeci
Morri nele
E ao morrer
Renasci

E depois do amor
E depois de nós
O dizer adeus
O ficarmos sós
Teu lugar a mais
Tua ausência em mim
Tua paz
Que perdi
Minha dor que aprendi
De novo vieste em flor
Te desfolhei...

E depois do amor
E depois de nós
O adeus
O ficarmos sós

 

Letra: José Niza


publicado por O Solitário às 17:04
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 28 de Maio de 2008

As mãos

Com mãos se faz a paz se faz a guerra.
Com mãos tudo se faz e se desfaz.
Com mãos se faz o poema – e são de terra.
Com mãos se faz a guerra – e são a paz.
 
Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.
Não são de pedras estas casas mas
de mãos. E estão no fruto e na palavra
as mãos que são o canto e são as armas.
 
E cravam-se no Tempo como farpas
as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.
 
De mãos é cada flor cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade

Manuel Alegre

 


publicado por O Solitário às 07:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 23 de Maio de 2008

"Desassossego..."

... Várias vezes, no decurso da minha vida opressa por circunstâncias, me tem sucedido, quando quero libertar-me de qualquer grupo delas, ver-me subitamente cercado por outras da mesma ordem, como se houvesse definidamente uma inimizade contra mim na teia incerta das coisas.

     Arranco do pescoço uma mão que me sufoca. Vejo que na mão, com que a essa arranquei, me veio preso um laço que me caiu no pescoço com o gesto de libertação. Afasto, com cuidado, o laço, e é com as próprias mãos que me quase estrangulo.
    
do livro "Desassossego" de Fernando Pessoa

 


publicado por O Solitário às 12:29
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 22 de Maio de 2008

Mulher de Cinquenta

 

Que com sabedoria encanta
Experiência é sua essência
Corpo e alma desfila experiência
Do amor e da alma tem plena consciência
 
Amiga, amante companheira
De colo aconchegante
Tanto como amiga
Quanto como amante
 
Conhece os segredos do amor
Tanto os do coração
Quanto os da paixão
Domina as sensações e emoções
 
Incendeia o seu amor
como um vulcão em erupção
amorosa  amante
se entrega sem restrição
 
não estabelece limites
Nem condição
Sem cobranças
Sabe ter e dar prazer
 
Conhece os segredos, sabe muito bem
onde e como está a beleza
forja com mestria sua natureza
E o emocional manipula sem igual
 
Nela estão contidos todos os momentos
De menina mulher, adolescente,
no instante certo, é criança é madura
dosa sensações e emoções com doçura
 
Pois seus perfumes e essências
Purificados, perfumados
Condensados em extractos
Hormonios fluindo para o coração
 
Palpitando o amor em paixão
Moderadamente contida
Sabendo exactamente cada medida
dos carinhos, da sensualidade e sexualidade
 
Mulher de cinquenta
que a todos encanta
é charme, é deleite
é fascinação que deslumbra o coração
 
Com sua alma iluminada
É luz que ao amor reluz
que ao desejo seduz
Poção que ao prazer conduz
 
Mulher de cinquenta, aconchegante e quente
Fruta madura feiticeira
Doce, fogosa, faceira
Sabor de amor que sacia, vicia e não cura
 
Joe’A - http://amizadepoesia.wordpress.com/
 

publicado por O Solitário às 21:54
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 19 de Maio de 2008

Samaritana

Letra do fado de Coimbra "A Samaritana"

 

 

Dos amores do Redentor
Não reza a História Sagrada
Mas diz uma lenda encantada
Que o bom Jesus sofreu de amor

 
Sofreu consigo e calou
Sua paixão divinal
Assim como qualquer mortal
Que um dia de amor palpitou
 
Samaritana plebeia de Cicár
Alguém espreitando te viu Jesus beijar
De tarde, quando foste encontrá-lo só
Morto de sede junto à fonte de Jacob
 
E tu serena acolheste
O beijo que te encantou
Serena empalideceste
E Jesus Cristo corou
 
Corou por ver quanta luz
Irradiava da tua fronte
Quando disseste - Oh Meu Jesus
Que bem eu fiz Senhor em vir à fonte!

publicado por O Solitário às 06:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 18 de Maio de 2008

Um beijo

 

 

 Foto "O Solitátrio"...


 

Foste o beijo melhor da minha vida,
ou talvez o pior...Glória e tormento,
contigo à luz subi do firmamento,
contigo fui pela infernal descida!

Morreste, e o meu desejo não te olvida:
queimas-me o sangue, enches-me o pensamento,
e do teu gosto amargo me alimento,
e rolo-te na boca malferida.

Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,
batismo e extrema-unção, naquele instante
por que, feliz, eu não morri contigo?

Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,
beijo divino! e anseio delirante,
na perpétua saudade de um minuto....

 

Olavo Bilac

 


publicado por O Solitário às 22:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 12 de Maio de 2008

SOMOS UM SÓ

 

 

 

   Foto O Solitário
 
 
 O teu olhar assustado
O teu coração pulsando
As tuas faces afogueadas
Onde os meus beijos como brasas
Encontram os teus beijos,
Saboreiam o teu corpo,
São a recordação,
O sonho mais perfeito
Da vida que vivemos.
 
Esquecemos o mundo
Aquilo que fazemos,
Somos um só.

 

(Cunha Simões)

 


publicado por O Solitário às 18:29
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 11 de Maio de 2008

A Voz do Silêncio

 Foto O Solitário

 

A pessoa que sou é única, limitada a um nascer e a um morrer, presente a si mesma e que só à sua face é verdadeira, é autêntica, decide em verdade a autenticidade de tudo quanto realizar. Assim a sua solidão, que persiste sempre talvez como pano de fundo em toda a comunicação, em toda a comunhão, não é 'isolamento'. Porque o isolamento implica um corte com os outros; a solidão implica apenas que toda a voz que a exprima não é puramente uma voz da rua, mas uma voz que ressoa no silêncio final, uma voz que fala do mais fundo de si, que está certa entre os homens como em face do homem só. O isolamento corta com os homens: a solidão não corta com o homem. A voz da solidão difere da voz fácil da fraternidade fácil em ser mais profunda e em estar prevenida.

Vergílio Ferreira, in 'Espaço do Invisivel I'

 


publicado por O Solitário às 08:12
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 9 de Maio de 2008

Gaivotas

 

E no teu rosto aberto sobre o mar
cada palavra era apenas o rumor
de um bando de gaivotas a passar.
 
Eugénio de Andrade
 Deixa que eu continue a ser uma gaivota
A voar
De asas abertas
Sobre o oceano...
Vem comigo
Ser pétala
Asa
Mais nada...
Vem
Seguir o vento...
Pousar cantando
No alto de um abeto
Ou de uma casa...
Julieta Lima
 

 


publicado por O Solitário às 06:49
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 5 de Maio de 2008

Amantes

 

Vem.
Vem comigo
Cansados de amor
mergulhemos juntos na noite
no silêncio dos amantes

amor amor amor
repete comigo
as palavras que nos dão paz.

(retirado da Net texto e foto Luis Rodrigues)


publicado por O Solitário às 06:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 3 de Maio de 2008

Desnecessária explicação

Que importa a melodia,
se acaso aos outros dou,
com pávida alegria,
o pouco que me sou?

Que importa ao que me sabe
estar só no meu caminho,
se dentro de mim cabe
a glória de ir sozinho?

Que importa a vã ternura
das horas magoadas,
se ao meu redor perdura
o eco das passadas?

Que importa a solidão
e o não saber onde ir,
se tudo, ao coração,
nos fala de partir?
Daniel Filipe

publicado por O Solitário às 22:16
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.sou eu....


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.pesquisar

 

.Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Esta velha angústia,

. 25 de Abril Sempre!

. Parabéns!

. Parque Marechal Carmona e...

. 25 de Abril Sempre!

. CHARLES AZNAVOUR AVE MARI...

. Parabéns Margarida!

. Cascais colorido...

. Caminhando por Cascais

. Caminhando por Cascais

. Cascais...

. Paço d' Arcos

. Devagar.

. Sons do silêncio

. O Tempo Passa? Não Passa

. Caminhos...

. Janelas e Primavera em di...

. Primavera

. Poema à Mãe

. Sons de Abril!

.arquivos

. Maio 2020

. Abril 2020

. Novembro 2019

. Abril 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.visitas

online

.Visitas de Solidão

Free Web Counter
Clothing Stores
SAPO Blogs

.subscrever feeds